sexta-feira, 2 de junho de 2017

A DIETA DO EGO - PARTE I

  
Imagem da Internet
 Foi há uma semana, na quinta a noite, dia 25 de maio, ao me deitar rapidamente para relaxar a mente, que me veio o título acima na mente. Aliás, bem oportuno comentar sobre este método, que descobri ao acaso e muito eficiente para mim, ou seja:

- Sempre que não sei o que fazer, ou como fazer algo, ou enfim... eu deito, cinco minutos que seja, relaxo, não penso em nada do que quero ou deixo de querer - deito como quem não quer nada e daí sempre acontece algo: as vezes na forma de um impulso físico – levanto sem pensar e vou fazer algo – então isso era o certo a fazer! Ou tenho uma ideia e levanto para realizá-la. Ou me vem uma frase... e isso foi o caso daquela noite: não sabia o que fazer. Se ia ler, dormir (era muito cedo, umas 20h30) ou o quê! E daí mal deitei e veio o título A DIETA DO EGO! 
Eureca... levantei e comecei a escrever sem parar até preencher três páginas.
 Logo a seguir escrevi três páginas do artigo agora já postado (hoje é sábado, dia 27.05.17), BRASIL - CAMPO DAS BATALHAS ENTRE AS FORÇAS DAS TREVAS E DA LUZ! E hoje cedo, ao revisar o artigo A DIETA DO EGO, de três páginas,  já estou na décima primeira página – e quando parei pra tomar café e voltei e deitei para fazer a digestão por alguns minutos, não deu, as ideias jorravam aos borbotões e daí percebi que estas 11 páginas são a parte I. Veremos no que vai dar. 
(E já vão ver, digo ler).




02.06.2017 – Sexta-feira

A parte I original já estava pronta há dias para ser postada, mas algo a emperrava. Hoje então, devido a algumas trocas de perguntas e respostas entre amigos, por acaso, nada programado, percebi que preciso incluir algo essencial neste artigo que já estava dividido em duas partes pela extensão que tomou e agora talvez acabe em três partes. E o que seria a Parte I, será a II e a Parte II será a III, obviamente.

PARTE I
Aqui vou abordar essencialmente como lidar com o ego no dia-a-dia e de modo geral, sendo uma alma madura.

Aprendi tudo com muita dor (em vários sentidos) e experiência própria e muito do que deduzi é fruto de vivência – as leituras acabaram endossando uma e outra conclusão e, por vezes, o contrário.

Essencial: diferença entre almas maduras e jovens!

- Enquanto que uma alma jovem vai usar a plena força de seu querer e desejar para conquistar tudo que deseja, isso inclui organizar sua rotina e tudo que contribui para realizar seus desejos,  para ela vão funcionar dicas e conselhos expostos nos livros de autoajuda em geral, pois ela está em vias de formação do ego ou da personalidade. Algumas vão precisar usar toda a encarnação para maturar a persona, outras uma parte de sua vida. Isso é muito pessoal. Para este grupo de almas tem livros de autoajuda, artigos, vídeos, sem fim à disposição, aliás, o mundo só funciona graças a estas almas, pois elas movimentam o mesmo movidas pelo senso de competição, principalmente. Embora haja muitas exceções e variáveis.

Existem sim, almas jovens-maduras (almas que só vieram para ajudar o Planeta), estas já demonstram desde pequenas que são diferentes. Não necessitam ostentar nem provar nada para ninguém. Mas tampouco  todas que ostentam algo ou sentem necessidade são almas jovens apenas, mas almas que fazem seu trajeto normal e, por vezes, depois de maduras mudam completamente o foco de sua vida. Precisaram queimar apenas alguns aspectos para poder florescer o sentido mais profundo de suas vidas.

Uma alma madura está sob outra lei. E é para elas que escrevo - para as jovens tem ajuda até demais como já mencionei. Basta procurar.

Uma alma madura, que está em vias de entregar o ego – o fruto maduro, esta se depara com uma situação complexa, diria que bastante complexa, principalmente porque não existe uma literatura específica a respeito – pelo que sei e vivi. Era uma fase sem mapa, sem pistas. Acabei então criando minhas placas e, sem querer, acabei montando um mapa elementar, principalmente agora que decidi por tudo no papel... virtual, claro!!! Mas, de fato, faz dias que algo vem me cutucando para expor o que estou expondo aqui e agora e, que, sem planejar, coube perfeitamente dentro do título.

Exemplos da complexidade desta fase:

- A alma madura vai ter que constatar, com muita sinceridade, aspectos que, de fato, ainda precisa maturar, viver, sentir, enquanto ego “normal”, seja via uma carreira, um hobby, um projeto, via casamento, etc. etc. enquanto que em todo o mais ela precisa iniciar o caminho da entrega. Geralmente ocorre que entregamos o que deveríamos realizar, e buscamos realizar a todo custo o que precisaríamos entregar. Por quê?

Porque o ego é cego, prá não dizer burro! Coitado.
Mas, não sejamos tão duros – ele é nosso veículo de vida nesta terceira dimensão junto com o corpo físico. Por isso melhor seria o tratarmos como uma criança mimada que quer tudo e na hora! Sem precisar fazer algo, sem pagar as consequências e sem complicações, por favor. Tudo fácil. Easy mesmo! E ficar no comando, sem ser mandado... por favor, apenas deixar claro o que precisa ser feito e como. Senão ele empaca... de vez. Feito burro... desculpe... de novo, sem querer! Aliás, um amigo libanês, muito sábio, respondeu assim um dia a alguém que perguntou algo como:
- O que fazer com alguns desejos? (Realmente não lembro da pergunta). Mas lembro da resposta:
- Ora, se não der capim verde e fresco pro burro vez  ou outra, ele empaca e daí que adianta?
(Pela última vez vou chamá-lo de burro, ok! Afinal, ele é sim, um burro de carga... nossa, de novo! Enfim... ele fez uma caminhada árdua por este planeta... louco - e, com justa razão, está agora mais confuso que nunca). 

Na teoria: a grande sabedoria consiste em dar algum capim saboroso volta e meia pra ele cooperar no processo de entrega sem emburrar.
Na prática: às vezes deixe tudo de lado e assista a Sessão da Tarde. Volte a ser criança. Vá comer um sorvete. Compre algo que lhe dê alegria... infantil que seja.

Portanto, para almas maduras muitos conselhos e esquemas e dicas típicas não vão mais funcionar. Simples assim. Receitas prontas de como ficar rico, como organizar sua vida, e por aí.

Exemplo: organizar uma rotina!
Como proceder como alma madura.

Para uma alma jovem talvez o maior desafio seja aprender a seguir uma lista e se tornar uma pessoa organizada, confiável, responsável.
Já para uma alma madura isso não é mais prioritário – ela precisa entregar seu fruto maduro – seu ego maturado, também nesse aspecto e assim se abrir para o que precisa ser feito naquele dia.
Exemplo: eu agradeço todas as manhãs a minha Essência ou Presença pelo dia anterior e peço que guie meus passos nesse novo dia, no pensar, sentir e agir. Aliás, vou aproveitar e expor aqui minha oração pessoal, fruto de minhas necessidades interiores, talvez alguém queira usá-la até achar a sua:

Agradeço-vos o PAI/PRESENÇA/DEUS... (use o que preferir) pelas bênçãos recebidas ontem e agradeço pelas bênçãos a se revelarem hoje!
Abençoai este vosso Veículo Humano no Pensar, Sentir e Agir.
Em todos os Atos, Pensamentos e Sentimentos estejais vós presentes como um presente sempre um passo à frente!

Porque usar o termo revelar e não outro?
- Porque entendo que se sigo a sabedoria do Pai/Ser em mim, Ele já sabe de antemão o que é bom, como, quando, tal como uma foto que já foi tirada (refiro-me as fotos de antigamente), só que ainda não revelada! E então, peço para Ele revelar (veja que belo termo!), SUA VONTADE neste novo dia! Na 3D!
No dia que tive esta visão entendi muitos mistérios! Mas isso é outro assunto.

Mas eu faço mais!
E hoje vou expor todas as técnicas que copiei, adaptei ou criei.

Técnicas para o dia-a-dia:

- A oração acima é o ABC básico. Sem ela nem saio de casa.

- Se vou trabalhar peço para me mostrar o que precisa ser feito com mais urgência! E então acontecem coisas curiosas, como:  as vezes um papo por acaso com a cozinheira (onde trabalho), por exemplo, me faz lembrar de algo que esqueci e que sinto ser importante fazer hoje prioritariamente. E por aí afora. Cada um terá suas experiências de acordo com seu bio tipo, alma, carma, etc.

- Se é meu dia livre ou apenas chego em casa e não tenho pique de fazer o que preciso fazer – ou acho que preciso, eu me deito por 5 minutos no sofá, na cama, na rede, onde for. E relaxo. E de repente sinto um impulso de fazer algo. As vezes é tão forte que nem percebo e levanto e vou direto fazer algo, as vezes vem bem claro à mente, enfim... apenas sigo. E consigo, porque me predispus, me abri! Isso faz toda a diferença. É como de antemão impedir que o ego tome a frente.

- Se tenho que fazer algo chato, delicado, etc. então peço para meu PAI/PRESENÇA/DEUS me inspirar, me ajudar a fazer tal coisa no dia certo e hora certa e do jeito certo. Sempre dá certo também.

- Se preciso fazer algo chato, delicado, etc., então também peço por ajuda, enfim, de acordo com o caso peço por sabedoria, paciência ou apenas a inspiração e guiança do meu Ser Interior, que uns chamam de Essência, outros de Self, outros de Presença, outros preferem invocar a Deus, Pai, Jesus, Cristo, Buddha, enfim... cada um use sua linha de fé.

- Se não tenho como deitar e relaxar, ou mesmo orar, invocar, pedir, eu peço mentalmente – ou se o assunto é bem urgente e mal tenho tempo, eu apenas me centro no centro do peito, onde acredito ser a morada do ETERNO EM MIM. Você pode dizer algo como:
- Assuma o comando, por favor (mentalmente). Inspire-me! Ajude-me! Guia-me!

Detalhe: o impulso é muito sutil - nada óbvio via de regra. Apenas siga... seja o que for. Afinal, ninguém vai te pedir pra você pular do seu prédio como prova de confiança! Por isso, não banque a criança e peça por coisas absurdas. Comece com entregas simples, algo que não lhe abale. Assim vai ganhando confiança, aos poucos. Como com tudo. Comece "por baixo"! 

E para grandes projetos ou planos?

O mesmo vale para grandes projetos de vida ou planos em geral.
Claro que o ego ainda vai tentar viver alguns dias de glória e vai tentar de todos os lados realizar algo grande ou apenas algo que o satisfaça. Isso, para uma alma jovem é vital, mas para uma alma madura pode ser fatal!
Ou seja: querer se projetar, se sentir alguém por meio de algo a fazer. Mas calma, também não vai precisar se esconder e se precisar, ele vai fazer isso com tua vida de forma tão natural, que nem vai perceber! 

E agora? Como identificar se tal projeto ou plano é, de fato, ainda algo a ser vivido para poder finalizar sua maturação, (ou por alguma razão que não possa antever!), ou se é uma cilada do ego?
Se for o primeiro e você negar, vai atrasar sua caminhada rumo à entrega final do ego – pois ele, com justa razão, chateado e frustrado vai, como vingança,  emperrar sua entrega final.
Sendo o segundo caso, se insistir em realizar, vai se sentir desgastada, frustrada, porque nada vai acontecer do jeito como gostaria.

Podemos comparar isso ao seguinte quadro:

- Digamos que você deixou de viver coisas básicas na sua adolescência ou mesmo juventude, e então, quanto chegam os quarenta, ou antes, ou depois, aparece o “buraco”,  a lacuna e você fica doida, doente, e não sabe o que acontece. Tenta preencher com uma vida espiritual ou outros e nada tapa aquele buraco... sim, porque, de fato, ele deveria ter sido vivido na época adequada. E agora?
Bem, não sou especialista na área, mas diria para checar a hipótese de viver algo similar na sua idade, sem bancar a infantil ou teenager ou então cheque se realmente isso a faria feliz hoje!

Às vezes, um desejo mal realizado ou não realizado se resolve dando atenção prá ele – nem realizando, nem ignorando, mas aceitando, profundamente, sinceramente... e então, de repente, desaparece. Ele só queria ser reconhecido e aceito de forma consciente! Consciente! De preferência por escrito, via diário, para ficar bem claro que você identificou o buraco ou desejo, o analisou, e enfim, viu que talvez seja possível realizar, talvez não seja necessário.
- Como o ego realmente é cego, em quase tudo, por vezes nos equivocamos e, achamos, por exemplo, que o desejo era de ter uma relação duradoura, mas, indo mais a fundo, vamos ver que na verdade, o desejo era ter dançado, ou sido mais arrojado, ou apenas ter viajado. Etc.
- E agora: de novo seguir as etapas... aliás, vou listá-las para ficar bem claro!

Inclusive, será preciso saber separar um desejo mal resolvido na idade certa, de um desejo ou projeto que faria sentido realizar atualmente. Mas, no final, vai dar na mesma. Seguindo as dicas abaixo vai identificar qualquer desejo, e provavelmente vai perceber de qual tipo se trata e se não, também não fará tanta diferença, porque assim ou assado terá que lidar com ele da melhor forma possível. SE necessário, busque ajuda, mas tenha a certeza que a pessoa tenha um nível espiritual igual ou superior ao seu para não lhe dar conselhos que se daria a uma alma jovem!
  
Lista de como identificar desejos mal resolvidos:

1.   Identificar qual o desejo que o está cutucando feito criança pedindo por doce,  ao perceber que vive insatisfeita com algo!
2.   Checar se é ele mesmo, ou esse desejo ainda é o disfarce (por qualquer razão sua, que talvez nem precise identificar) para outro desejo, mais profundo, ou apenas um que tenha mais medo de identificar, talvez porque acha que seja tarde, talvez por vergonha, medo de não ter coragem nem de assumir para si tal desejo, enfim... a lista é enorme, varia de caso para caso.
3.   Importante: diga para si mesmo que quer apenas identificar o desejo que está lhe causando depressão, insônia ou qualquer outro problema e que vai acabar lhe deixando doente, talvez até ao nível físico. Diga a si mesmo que apenas vai tomar conhecimento e ver com calma o que dá para fazer ainda! (Tem que tratar seu ego nestas horas como uma criança e sendo você como o pai-mãe amoroso, que jamais vai censurar seja o que for, por mais cabeludo que seja o desejo – importantíssimo é aceitá-lo acima de tudo).
4.   Pronto, agora que o desejo veio à tona, a aceitação, sem julgamento, é absolutamente vital, pois provavelmente é esta aceitação plena que vai acabar por dissolver o desejo, como fumaça... ao invés de crescer como um fantasma ou bola de neve quanto mais for negado!
5.   E se ele foi dissolvido, ótimo, senão, veja se ainda pode realizá-lo de forma plena, parcial ou como for. Talvez algum equivalente no lugar, que também lhe traga uma satisfação similar, mas mais de acordo com a época e lugar que vive.
6.   De preferência escreva ou então grave em seu celular – pois é falando ou escrevendo que as duvidas e conflitos clareiam mais rapidamente! Não deixe tudo apenas no nível mental ou emocional, isso gera confusão. Seria como imaginar uma casa e nunca colocá-la no papel. Colocando no papel – criando uma distância, portanto, de, pelo menos, trinta centímetros J, já vai ajudar a olhar o conflito “de cima para baixo”, e, se for o caso, converse com alguém a respeito.
7.   Por último: não tente ser tão perfeito. Se for deste tipo. Relaxe. Aprenda se perdoar. Sobretudo a ACEITAR SUAS LIMITAÇÕES. Sei que vai dizer que já sabe disso, MAS APLICA NO DIA-A-DIA, quando descobre que reagiu, agiu mal, falou mal, pensou mal, esqueceu algo, ofendeu alguém? Sabe se perdoar de fato, ou busca se defender dizendo: mas eu tinha razão, ora... etc.??? 

Se for do tipo oposto: veja se seu excesso de relax é justamente porque não saberia se perdoar se tentasse ser mais correto e falhasse, então é melhor ser considerado falho de antemão, não? Outro nome seria uma falta de responsabilidade diante da vida. Talvez tenha alguma lembrança forte do passado que o bloqueia. Vá fundo. Peça por ajuda para clarear tal. Afinal, tem facetas que precisam ser entendidas para serem dissolvidas. Mas nem todas. Portanto, nada de bancar o detetive psicológico tentando identificar cada pista de algo suspeito em seu ego!! O ego é todo ele suspeito! Então, identifique apenas aquelas facetas gritantes que lhe atrapalham a vida e veja o que há por detrás.
  
Conclusão da Parte I:

Não pense que sua vida vai ser triste ou chata porque identificou ser uma alma madura, que precisa entregar seu ego. Pelo contrário: vai identificar novas fontes de alegria e satisfação. E algo muito compensador:
- Vai evitar dores diversas em sua vida!
Pois, muitos caminhos dolorosos foram frutos de decisões equivocadas, do ego que queria a todo custo algo, de atitudes precipitadas, enfim...

Portanto, vai perceber, aos poucos para alguns e de cara para outros, que o dia-a-dia será mais harmonioso e saberá, inclusive, recuperar a harmonia no transcorrer do dia se algo a tirar – algo lhe tirar do centro. Tolle chama isso de voltar a se identificar com o ego. E assim o reforçar.

E falando em reforçar:
- As práticas simples que repassei vão fazer algo essencial em sua caminhada, seja por qual via for:
- Vão reforçar seu SER – vão fortalecer a conexão com o Ser e assim, sem perceber, sem afrontar, vão enfraquecer o ego e isso, para quem sabe do que falo, é a essência de todo caminho de toda alma madura, ou,  dito em termos cristãos:  Voltar a Casa do Pai... em ti!


Na Parte II e III vou aprofundar bastante o conceito de fortalecer o divino, para enfraquecer o humano, do que o contrário, como grande sacada! Ou tacada! Entre outros. Muitos outros temas correlatos. 

Conto sobre um último desejo!

Para ilustrar esta etapa de uma alma madura, me vem à mente a famosa história, lenda ou apenas parábola, que é contada no Oriente sobre um discípulo que estava pronto para se libertar de vez do ego, mas algo o impedia... (vou ver se acho isso em forma de vídeo ou artigo, ou ambos).

Não achei, por isso vou resumir em minhas palavras:

Certa vez, um discípulo que estava pronto para a derradeira entrega do ego, resistia.
O mestre sabendo o que o impedia de dar esse salto final, disse-lhe um dia:
- Eis aqui sua casa! 
Vendo-a, ficou emocionado. Era tudo que sempre queria, uma casa! E que linda.
- É toda sua, disse o Mestre!
E sabendo que a teria (parecia tão real), eis que... aconteceu! 
O último ego se dissolveu e o Ser resplandeceu!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos de antemão os que se derem ao trabalho de expor um comentário, pedimos apenas que sejam objetivos, seja na exposição, ou na formulação de dúvidas.