terça-feira, 14 de março de 2017

LIVRO I - A REVELAÇÃO - THALUS VON ATHOS


A REVELAÇÃO 
Verlag Garten Weden
(Editora Jardim Weden)


AMOSTRA DE LEITURA  DO LIVRO I DE THALUS VON ATHOS,
DE UMA SÉRIE DE 4 LIVROS. CADA UM COM UM TÍTULO PRÓPRIO,
FRUTOS DOS DIÁRIOS DE ALF  E DO ESFORÇO DE SUA ESPOSA-VIÚVA, CHRISTA JASINSKI DE EDITÁ-LOS.

O alemão, de nome Alfons Jasinski teve contatos constantes, desde 2002 a 2006 – a basear pela amostra de leitura do  livro 4 que estará a venda a partir de abril 2017- com duas raças que moram no interior da Terra há muito tempo, mas que não são de origem intraterrena. Ele foi membro da mais antiga Ordem Espiritual, a MOHLA (que existia há 3774 anos, antes da Rosacruz, Templários e Cátaros, diz Alfons na Introdução em seu primeiro livro) – a qual, no final, dissolveu, a pedido do seu líder, que via em Alf a realização de uma antiga profecia. Tratava-se, contudo, de uma ordem íntegra. O motivo da dissolução só se entende dentro do contexto expostos nos 3 livros lidos por mim, cada um de aprox. 400 páginas, que valem ouro, sob vários aspectos.

Os diálogos com os habitantes intraterrenos, bem como com outros seres interessantes e inesperados e entre os membros da MOHLA, são de uma riqueza inimaginável. A esta série de 4 livros daria um adjetivo que a define: INSÓLITA!
Abaixo link do Livro I, o qual achei em PDF, mas que não corresponde a versão final, revisada, do livro, pelo que entendi.
O objetivo desta tradução, que estou fazendo por conta, é a busca de editoras brasileiras - contatei Christa e contei do meu propósito e ela me autorizou - mesmo porque, ela e seu atual companheiro estão sem tempo nem para respirar, devido a edição do Livro 4 para abril.




A seguir, como amostra de leitura, segue dialogo entre Alf ou Thalus von Athos e Magath, da raça Vril ou Achele – retirado da amostra do livro I em alemão, e esta do link da editora. Contudo seus contatos mais usuais foram com Ulluer, da raça Vril ou Achele como preferiam ser chamados, e Mordachai, da raça Ohai. (Ulluer se pronuncia como o u em francês,  com som de i, fechado, como em déjà-vus ou seja, de já vî - Îllîer, portanto). 
Aproveito para informar que só fiz uma revisão básica na tradução, tampouco repassando a terceiros para revisar, visto que o objetivo é traduzir algumas amostras para se ter uma ideia dos conteúdos abordados nos livros - e não a perfeição da tradução.

AMOSTRA DE LEITURA DO LIVRO I – A REVELAÇÃO


<<<   14.11.2005 Viagem ao interior da Terra.
Novamente recebi tal concentração de informações, que só pude anotá-las em forma de palavras chaves. [...]
Em nossa forma atual  vivemos somente a partir de aprox. 5000 anos! Antes do dilúvio tivemos formas de cabeça e do corpo mais reptilianas e trabalhamos para algumas classes dominantes extraterrestres. Após a modificação genética ocorrida pós-dilúvio, nos desenvolvemos para o Homo sapiens de hoje e nos tornamos dominantes - e, portanto, imprevisíveis para os extraterrestres de cabeça alongada  da época, ocupantes da Terra.

[Nota curiosa: aos 15 anos, quando comecei a escrever poesias, lembro de uma, que escrevi fortemente inspirada, e iniciei a mesma assim: "Cinco mil anos, escassos e pouco vividos..." e a finalizei alertando para uma guerra bacteriológica que o mundo jamais tinha visto até então. Talvez isso era uma possibilidade na linha de tempo da época, mas desde lá, como ficou claríssimo de vez,no meu longo artigo TERRA - A UN PASITO DA LIBERTAÇÃO, tudo muda de minuto a minuto].

Nisso tinha parte nossa herança genética Vril, a qual nós reagimos melhor. Os Vril [uma raça de Etes que veio do Planeta que eles chamam de Achele], nos pouparam de uma extinção global na época.
As demais espécies se mandaram do Planeta.
Sendo assim, nesse ponto o livro Gênesis da Bíblia está correto em dizer que o ser humano em seu formato atual, de fato, tem aproximadamente 5000 anos. Embora vivessem anteriormente várias raças raízes, culturas antigas, que sempre de novo se destruíram a si mesmas. [...]
Em todos os registros históricos há o risco de um grande jogo psicológico das forças escuras. [...] Mas nós - Homo sapiens - somos a primeira raça de nossas próprias raízes! Todas as raças anteriores têm muito pouco a ver conosco.

"Vocês são uma espécie cuja herança Vril  pode abrir-lhes um crescimento rápido e as portas do universo. Vocês não tem nada em comum com espécies humana anteriores que eram realmente lentos", sorriu Magath. Basicamente, você são geneticamente mais próximos de nós Vril, do que do homem primitivo da Terra. E isso queremos transmitir a você. Nós Acheler - Vril - somos, na nossa forma atual, imunes às maquinações dos Asuras e sempre mais de vocês já sabe bem, neste ínterim, onde o diabo se senta e ri ".  [Uma expressão em alemão para dizer que sacaram o xis da situação].
Nota: Concluí que denominam Asuras o que alguns chamam de Arcontes ou seres similares, negativos, que sempre buscam escravizar, dominar outras raças.

 [...]  "Então por que  membros de nossa espécie nos fazem de seus escravos?", perguntei.
"Por vocês possuírem enormes habilidades de tirar o melhor proveito do céu e do inferno", respondeu. "Sob a influência dos Asuras encontra-se a maneira mais fácil e de forma rápida e egoísta de se apoderar da magia universal - uma magia que, basicamente, não comprime, mas que se usa de forma dinâmica [não entendi esta frase e não terei tempo de pesquisar melhor]; não relacionada a uma geração, mas a um número infinito. Portanto, toma-se a essência- luz como dinâmica infinita e a essência-escuro apenas determinante a curto-prazo e estagnativo." 

"Um flash de curto prazo, em vez de uma iluminação de longo prazo," balancei a cabeça compreendendo. [Aqui sim ficou claro – que os Asuras usam da magia, que permite um atalho, mas que corresponde a um flash, se comparado a um processo verdadeiro].

 "É isso aí, você captou - eu reconheço", disse Magath. "Então você também vai entender por que o átomo é de todos o menor de nosso irmãozinho / irmã na matéria e porque precisamos protegê-los. Quem mata o menor dos seres vivos entre nós,  está fora da criação e também vai passar por isso - no anticosmos chamado de Lúcifer, que  é ilusório. Cabe a todos nós convencer o [sistema] luciférico que com a destruição de cada átomo destrói-se, irremediavelmente, a si próprio. Para tal tarefa, todos os meios e modos são corretos -... como você que buscou ver o Divino na busca de Vashira. Se todos nós convencêssemos os Asuras em relação a isso  - com astúcia divina e ousadia, teríamos  finalmente paz no universo ".

 "Mas com Vashira apenas 20% dos Asuras se foram como eu pude entender,"  interrompi. [Isso foi naquele ano - no livro 3 é revelado que já se foram 80%, ficando aqui os serviçais humanos, que infelizmente ainda buscam fazer seus estragos].
"No curso de sua maturação [refere-se a nossa raça], que ocorre de forma rápida e em alta velocidade - contrariamente a todas as outras declarações - vocês são capazes,  de nas próximas décadas, mostrar o retorno à luz ao resto dos Asuras", disse [Magath] rindo de forma inusitadamente alegre. "Quanto mais vocês arrastam o respeito e o medo de influências negativas sobre uma base de ridículo e expõem as maquinações em sua história como besteiras, mais nervosos ficam seus adversários e seus agentes terrestres. Outro Terceiro Reich já fracassou em 1945, embora restem ainda algumas consequências no presente.”

[O encontro de Thalus com Vashira, o líderes dos Asuras no interior da Terra, foi algo memorável – creio que isso consta no Livro 3. Como uma forma de intermediar por nós,  aceitaram falar com Alf porque disseram que ele era um dos raros humanos realmente especiais - via de regra eles nos desprezam porque somos tão compráveis e vendíveis, etc.].

“Vocês praticamente nem notaram, mas foi a sua mentalidade que impediu tal [ainda se referindo ao 3. Reich e o perigo de algo assim se repetir...]. E uma vez que você e muitos de seus companheiros mentais [pessoas que tem um mental forte, como Alf], raramente deixam de perceber algo, inclusive percebem tudo, o campo dos Asuras tem sérias dificuldades em se fazer valer.” [Aqui Magath está mostrando quanto poder temos e que via de regra ignoramos, porque a tática dos Asuras ou Arcontes é justamente nos denegrir ou nos comprar, para tirar o poder de nós].

"Isso realmente é uma boa notícia."
"Tem mais destas - vocês só precisam  manter abertos seus olhos e coração", disse ele. "Mas, também ficarem firmes, se eles vos oferecem conveniências que os faz  "adormecer" novamente - tais como a orientação de um novo guru ou estadista."
[Aqui Magath aponta para o nosso ponto fraco maior, diria, dois na verdade: adoramos comodidades e para isso vendemos nossa alma e adoramos vender ou até dar de graça nosso poder, pois daí não precisamos arcar com as consequências].

 "A segunda vinda do Messias é provavelmente uma ação humana global?" [pergunta Alf].
 "Sim. E, no entanto, isso vai se concentrar sobre algumas pessoas que se prestariam a isso de forma especial" assentiu. Isto inclui, por exemplo, Anastasia - mas também muitas outras pessoas que não sabem somente falar de forma grandiosa, mas também fazer alguma coisa. Basta pensar, como até mesmo você e alguns outros, que você conhece, se incluiriam nisso  << Pelos seus frutos os conhecereis - não pelas suas palavras>> - estas foram as palavras de Jesus, quando ele falou sobre seu sucessor. Esperar um Messias em particular seria uma espera inútil. “Vocês não precisam mais de líderes - esta época passou.” [disse Magath]. >>>

Nota importante: 
No parágrafo acima Magath dá a entender que nós mesmos seremos o messias que há de vir e fazer uma reforma, salvar a humanidade ou algo similar, visto que cada vez mais pessoas acordam e fazem uso de seu poder de forma positiva para o planeta e pessoas – cita Anastasia e Alf e pessoas como ele. Vale a pena comentar que no Livro 3 Alf vai ter uma conversa com Anastasia, a qual muitos querem ver como uma lenda, mito, etc. justamente para tirar o poder dela e do que ela movimenta no mundo  – tanto é que aqui no Brasil nem se conhecem os livros dela – tenho buscado por Editoras, mas, até agora não achei. 
Detalhe importante: 
Quando falamos de poder não é um poder mágico no sentido de apelar para atalhos, como os Asuras e as pessoas chamadas de ocultistas em seu sentido negativo fazem, que buscam desenvolver poderes psíquicos mesmo que para usar para o bem, se esquecendo que o ego em quase cem por cento dos casos, deturpa e abusa e danifica chacras e outros aspectos da persona. 
Os verdadeiros poderes - sidhis em hindu - são decorrência natural de um caminho espiritual autêntico, em que se deve ainda cuidar para não serem acoplados pelo ego - mas não é nem desse tipo de poder que é objeto do tema, mas de usar melhor nosso potencial de pensar, de sentir, de agir de forma coerente com o que nos dita nossa consciência, e, sim, que também acessemos nosso Ser Real e vivamos em verdadeira harmonia com a natureza e os homens - tal como consta no meu artigo sobre o Espírito Santo, ao se seguir algum caminho ou técnica, mostrando que tal etapa nos livra da dualidade e nos faz retornar a Unidade, coisa que uma Anastasia vive plenamente, bem como as duas raças contatadas por Alf, bem como os nossos Mestres verdadeiros e todos que trilham uma senda de Retorno à Fonte, aliás, aproveito para falar dela... 
digo, de

Anastasia
Portanto, segue abaixo o site de uma heroica portuguesa que traduziu praticamente os 10 volumes do russo para o português – eu tive acesso ao primeiro volume, acho, em 2004, numa Feira de Livros em Basel – Suíça. Lembro da cena claramente e do livro e do nome que achei curioso – estava com o livro na mão, mas por educação optei por comprar o livro de um dos sócios que conhecia,  da Editora  Govinda Verlag, que vem editando os livros de Anastasia em alemão desde então.

Portanto, que este aperitivo possa despertar a curiosidade de algumas editoras tanto para os livros de Alf, como para a série Anastasia.

No final segue link da editora portuguesa – veja que tem amostras de leituras as quais serão suficientes para quem captou a importância de se ter traduzidas obras que abrem os olhos das pessoas, mesmo parecendo se tratar de seres lendários, como Anastasia, os Vril ou Acheler, e os Ohai, as duas raças que Alf contatou por anos a fio – ou seja: acontecem coisas aqui na Terra, maravilhosas, que poucos conhecem e que o público brasileiro, curioso e interessado, deveria ter acesso, pois são obras-primas! Tesouros, que em uma linguagem diferenciada transmitem os valores atemporais - algo urgente hoje, ou seja: achar outra linguagem da que domina a internet e tornou todo conhecimento perene ou universal algo horizontal, raso, desprovido de sua profunda beleza original. Uma coisa é desvelar algo e tornar acessível a todos, a outra é "arrasar", tornar rasa!

Além disso, ambas as séries tem algo singular e chave em comum:

- Falam de seres que são exemplos vivos do como podemos ser!
São os heróis da era moderna, que faltavam para nos inspirar, já que sempre precisamos de heróis e heroínas! Embora eles vivam retirados justamente para não os endeusarmos e sim nos tornarmos "deuses". E toda a ênfase em ambos, na Anastasia e nas duas raças, é esta!
Chega de falsas idolatrias - claro que eles reconhecem os grandes que deixaram seus exemplos na Terra para serem seguidos... e não idolatrados! O velho erro do ser humano - herança da longa escravidão mental a que tem nos submetidos os que querem justamente nos ver fracos e impotentes. Sempre buscando líderes fora de nós! 

E se Alfons conseguiu o respeito até de um líder Asura, bem como dos intraterrenos, é que ele nunca aceitou nada sem questionar saudavelmente e colocar seus pontos de vista - e isso é outro tesouro da série dos livros dele! Por eles podemos aprender a respeitar nosso ponto de vista, e, se for o caso, mudar, mas não engolir verdades prontas sem mastigar! Que é o sistema dos Asuras. 

Puxa... tomara que haja ainda Editoras corajosas, que ousem publicar, mesmo que só em e-book estas duas maravilhosas fontes de conhecimento, inspiração e com informações altamente inusitadas, até para uma insider como eu!!! hehehe! Agora me elogiei de certo modo... mas só de certo modo!

Helena del Tao 
(ou: Helena a Caminho para se tornar o Caminho)

Editora dos livros de Anastasia em Portugal
Vejam que Joanne estará no Brasil em Abril.

E se alguém precisar de uma informação chave, pode me contatar, mas por favor, só para algo chave: helena.schaffner@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos de antemão os que se derem ao trabalho de expor um comentário, pedimos apenas que sejam objetivos, seja na exposição, ou na formulação de dúvidas.