domingo, 11 de setembro de 2016

DICAS CHAVES PARA O CAMINHO...

... AO PAI! EM TI. 
PARA SUA JORNADA "DE VOLTA AO LAR" -
POR JOEL GOLDSMITH (AND ME)!


Dia 7 de setembro acordei muito inspirada e escrevi alguns textos no facebook que eu comentei que iria salvar aqui no blog para ter como arquivo - para acessar quando quisesse!
E hoje veio o complemento do que escrevi resumido no parágrafo abaixo:
A VERDADEIRA INDEPENDÊNCIA... DO PLANETA TERRA, começa por nós - dentro de nós - nenhum ato externo chega perto do poder que temos ao nos conectarmos, DIARIAMENTE - com nossa FONTE INTERNA - nosso ESPÍRITO - quem realmente tem o PODER, que É PODER! Atos externos são NECESSÁRIOS para não afogarmos no lixo que produzimos diariamente via pensamentos, sentimentos e atitudes MAS efetivamente, somente nossa conexão COM A FONTE DE VIDA EM NÓS, é que altera o campo vibratório da TERRA e produz um mundo realmente melhor!

E agora vamos as citações de um livro-chave de Joel Goldsmith, que talvez alguns de vocês conheçam, outros não. Eu volto e meio leio algo dele.
Acho que ele conseguiu a façanha de traduzir em linguagem cristã atualizada e simplificada, os conceitos orientais de Atman, libertação, iluminação - enfim, de como tornarmos nossa alma mortal em imortal, para evitar a segunda morte, dito em termos (dramáticos) cristãos!
(A linguagem cristã é cheia de termos e imagens dramáticas em parte e isso a torna, por vezes, indigesta para muitos, preferindo os termos orientais - eu sou uma delas - mas Joel conseguiu o milagre de tornar textos chaves da Bíblia em linguagem acessível - e digerível- a todos ;-).
BOA LEITURA! POIS A HORA EST!
(est = é em latim)  
Preparemo-nos para o maior dos contatos - não de terceiro grau, nem de quinto com qualquer civilização extraterrestre, por mais elevada que seja - e isso também é bacana - nada contra, pelo contrário, muitos Etes positivos - e negativos!!! -  vão nos ajudar, e vem nos ajudando, assim como nós ajudamos povos que sofrem catástrofes diversas, mas vamos nos preparar para o hiper mega
CONTATO IMEDIATO COM NOSSA FONTE INTERIOR!
Pois só ela, inclusive na hora H, vai nos mostrar quem são os Etes espirituais e quem são os que se fazem e farão passar por tais!!!
Neste sentido não existem vários caminhos, mas só um caminho:
- pela via estreita de seu coração!
Neste sentido Jesus falou:
EU SOU o caminho, a verdade e a vida!
Ninguém vem ao Pai (senão pelo EU SOU - que ele ativou plenamente!), a não ser por mim (pelo exemplo que ele deixou)!!
Pois o termo EU SOU é outro nome para a
Fonte Interior, a Voz do Silêncio, o Pai em Ti, o Atman, o Cristo ou Consciência Crística, a Joia de Lótus, a Rosa do Coração, o Espírito do Pai, a Voz que fala no Deserto - no silêncio e na solidão... interior, que as vezes é mais fácil de ouvir no deserto ou em uma caverna... e hoje, em algum lugar similar, como num templo ou em meio a natureza!



CITAÇÕES CHAVES PARA NOSSA VIDA MATERIAL E ESPIRITUAL
DO LIVRO DE JOEL GOLDSMITH EM PDF
O CAMINHO INFINITO

PG 45 – A VERDADEIRA ORAÇÃO

A oração, que é união consciente com Deus, sempre redunda em harmonia, paz, contentamento e sucesso. Estas são as coisas "dadas de acréscimo". Não é que o Espírito produza, corrija ou cure a matéria ou o universo físico, mas ocorre que nós nos elevamos para um grau de consciência mais alto, onde há menos matéria e, por isso, menos discórdia, menos desarmonia, doença ou carência.
A comunhão com Deus é a verdadeira oração. É o desenvolvimento, na consciência individual, de Sua presença e poder, e isto nos torna "todos completos". A comunhão com Deus é na realidade ouvir a "pequena voz silenciosa". Nesta comunhão, ou oração, não proferimos palavras para Deus, mas a conscientização da presença de Deus é uma comunicação da verdade e do amor que vem de Deus até nós. É um estado de ser abençoado, que jamais nos deixa no ponto em que nos encontrou.

PG 48 – O VERBO QUE SE TORNOU CARNE

Quando olhamos as cataratas do Niágara, podemos até imaginar que, com tanta água a correr continuamente, venha a secar; mas, se olharmos para além do quadro próximo, veremos o Lago Erie e perceberemos que se trata de fato não de cataratas de Niágara, mas que este é o nome dado ao Lago Erie no lugar onde se derrama no precipício formando a cascata. A inesgotabilidade da cascata de Niágara é garantida pelo fato de que sua origem, aquilo que constitui o Niágara, é na realidade o Lago Erie. E assim é conosco. 
Nós somos o ponto onde Deus se torna visível. Nós somos Deus-sendo o Verbo feito carne. Nossa fonte, aquilo que nos constitui, é Deus — o Ser divino e infinito. Nós somos Deus-sendo, Deus-aparecendo, Deus-se-manifestando.

PG 49 – A SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Sempre que se defrontar com um problema, independentemente de sua natureza, busque a solução dentro de sua própria consciência. 
Em vez de correr de um lado para outro, de buscar uma resposta com esta ou aquela pessoa, em vez de buscar a solução fora de si mesmo, volte-se para dentro. Na quietude e no silêncio de sua própria mente, deixe que a resposta para o problema brote por si mesma. Se fracassar uma, duas ou três vezes, tendo se voltado para a paz de seu reino interior, em perceber a resposta como um todo, tente de novo. Nunca será tarde demais, nem a solução aparecerá tarde demais. Quando aprendemos a nos tornar dependentes deste meio para lidar com nossos problemas e nossas experiências, nos tornamos cada vez mais hábeis em reconhecer rapidamente a revelação da harmonia por parte de nossa mente.

Notas de HS:

 - Na verdade, a solução não surge da mente, mas por meio dela, sendo ela apenas a tela a repassar a inspiração divina – isso é o fundamento de todo conhecimento dito de perene, universal, verdadeiramente espiritual, gnóstico, absoluto, ou seja lá o nome que cada corrente dá ao genuíno contato com o divino em nós e quem já teve experiências SABE, por si, que a resposta que vem, sente-se que não veio da mente, mesmo que ela venha através da mente, ou  de uma outra pessoa, de um livro, afinal, nem sempre somos o melhor canal para receber a resposta – as vezes, ou muitas!, a mente, onde reina nosso ego, bloquearia a verdadeira resposta, então o Pai usa um terceiro elemento para repassar a resposta e saibam que Ele não tem preconceitos se a resposta surge por meios que nem sempre consideraríamos de dignos, divinos ou corretos. 

- Por experiência própria, posso dizer, que para receber uma resposta direta, é preciso muita neutralidade, o que, em termos místicos significa “silenciar o ego” para ouvir a Voz do Silêncio – outra metáfora, para dizer que não se ouve uma voz no sentido comum – muitas vezes a resposta vem em segundos, por meio de uma ideia, outras vezes por meio de uma canção... que a gente começa a cantarolar e nem sabe porque... quando vai ver o texto: Eis a Resposta! Eureca!  – já me aconteceu! Ou então vem um impulso para fazer algo e isso vai te levar a resposta – portanto, relaxar verdadeiramente significa: não queira antecipar ou imaginar ou muito menos “ditar” como receberá a resposta – relaxe e fique neutro. Aguarde sem ansiedade. 

- Muitas vezes não consegui tal nível de relaxamento e daí levantei e fui fazer algo e neste levantar – que gerou um desapego – a ideia pode jorrar!! – Agora vi que Joel descreve, mais abaixo deste capítulo o mesmo em suas palavras, sim... pois estas experiências requerem sempre o mesmo estado de espírito ou de mente – melhor: de no mind – não mente! Pois a mente mente no sentido que ela sempre reproduz, qual computador, as respostas gastas, velhas, frutas de conceitos mil (preconceitos seria o mais correto), por isso nunca vem nada de Novo, de Fresco, de Único da mente e sim somente VIA MENTE! Para isso ela foi projetada originalmente (o próprio nome Mann ou Men vem de Manas, da capacidade de pensar, de ser ciente de si, primeiro como ego, depois como Instrumento do Pai) – mas a Era da Razão tomou conta e desaprendemos a Ouvir a Voz do Silêncio, que, em muitos casos, é apenas um leve sentimento de não fazer isso ou de fazer aquele outro... mas achamos isso muito vago, muito fraco... porque nossa mente, nossa razão e a mania de querermos sempre ter razão sufoca a voz e a torna assim, fraca, raquítica, e a razão logo vem e diz: Bobagem! Esquece! E a cada vez que ignoramos esta Voz Silenciosa, este apelo, este sentimento do imo, nós reforçamos a mente e enfraquecemos a Voz de Deus em nós! 

- E a cada vez que a ouvimos e a seguimos, reforçamos esta Voz e com o tempo ela se tornará mais forte que a razão, e o melhor,  saberemos isso de forma consciente, pois muita gente segue esta voz de forma inconsciente, então não sabe a Graça que tem em mãos e um dia, se algo rompe esta conexão (como ocorreu comigo aos 19 anos), as vezes demora décadas para recuperar! Portanto, não falo da boca prá fora, falo por muitas experiências próprias que dariam um livrinho – por outro lado, volta e meia o mundo e o meio se torna mais forte e perde-se esta conexão conquistada com tanto esforço, sim, pois aprender a viver apenas movido por esta Voz, é como o processo de aprender a andar, depois falar, depois ler, depois virar adolescente, adulto, .... é longa a Jornada de Volta ao Nosso Lar Interior – a Casa do Pai em nós: na profunda caverna de nosso Coração – este é o ponto Omega que converge com todos os pontos Omegas de toda Criação – a palavra Coração é muito mais complexa e profunda que seu mero sentido místico evoca. 

- Quando finalmente vivemos apenas pela Voz do Coração, podemos dizer que nos tornamos UNOS com TUDO E TODOS – eu antevejo este estado, mas claro que não o atingi, mas esta é minha única meta real nesta encarnação, todo o mais são como distrações para o ego não ficar muito revoltado e boicotar esta caminhada – assim deixo-o ler sobre Extras, Intras, sobre os mistérios da nossa Criação, mas sempre sabendo que isso não é meu propósito – assim como sei que não é meu propósito viver para comer e trabalhar, mas que isso apenas são meios para poder existir neste Planeta! Claro que precisamos cuidar para que o ego não acabe, sutil e vorazmente, nos desviando da Meta Central, ao nos cativar com algum tema mais do que a Busca por Deus em Nós – por esta Voz Dele em nós – mas enfim, cada um terá que se deparar com seus pontos francos – o oposto também é um ponto fraco usado pelo ego: se não dermos suficiente alimento para ele por algum meio não destrutivo, ele dará um jeito de bloquear o acesso a Voz, mesmo que você esteja num meio altamente espiritual, ele vai achar esta brecha – portanto, nada de radicalizar e achar que se privando de tudo vai fortalecer a Voz, as vezes, caros, ocorre o oposto. 

- Por isso: Cuidado para aquele que esteja de pé (achando que está com tudo), não caia (do pedestal do seu ego). Esta frase de Jesus, como todas, tem muitos significados, e neste contexto, cabe direitinho o significado acima, pois a magia de uma frase  proferida por um Ser Liberto das Garras do Ego (como Jesus e outros de todos os povos), é que ela é poderosa e aplicável em muitas variáveis, como hoje é bonito dizer!!!  Explicando: ela pode ser aplicada em contextos super simples, até os mais complexos!

Agora muitos se perguntariam como praticar isso – qual o melhor caminho?
E eu responderia baseado nas minhas experiências:
- Há, de fato, muitos caminhos justo nesta época, tão madura – nosso ego tá caindo de maduro, de cansado, de ver que ele nunca chega a lugar algum – que a partir de certa etapa, ele só anda em círculos – e hoje muitas almas estão constatando isso, por isso inventei a frase a seguir que para alguns diz tudo, para outros nada:
- Uma alma madura em qualquer caminho transfigura!
 Ou se ilumina dito em termos que muitos conhecem – o cristão diria se salva.

- Ou seja, uma alma madura consegue usar até instrumentos antigos como ferramentas para agilizar sua conexão com esta Voz e torná-la potente como o Trovão de Thor! Já uma alma mais jovem, muitas vezes, precisa trilhar vários caminhos até achar aquele que mais a inspira, pois isso é um fator sine qua non, um fator chave para conseguir os melhores resultados e o outro fator chave é a constância da prática, seja ela qual for – sem constância nada se consegue, nem no mundo material e muito menos no espiritual! Ou adiantaria você ir à escola um dia, depois só semana que vem? Ou uma empresa sobreviveria se cada um fosse trabalhar quando quisesse? Ou você conseguiria modelar teu corpo se fosse à academia um dia, depois dali a três dias, na próxima semana você falta e na outra você vai cinco vezes? Iria dar um crash no corpo!

Concluindo o tema acima: 
- Muitos temem que ao praticar ouvir ou acessar a Voz do Silêncio acabem ouvindo a voz do inconsciente, de entidades, etc. Isso é um risco que se corre em alguns casos, mas não todos. E, afinal, quem disse que a caminhada espiritual ocorre sem problemas, sem distúrbios, como TUDO NA VIDA? Até mesmo nos ditos caminhos seguros cada um tem o poder de distorcer o acesso a esta Voz.  Praticando sozinho ou em grupo – digo, com pessoas que usam o mesmo sistema ou método – não existe segurança absoluta, visto que cada pessoa é única e vai ter que se defrontar com os umbrais de seu ego na forma de auto enganos, de orgulho, de senso de superioridade, de falsa humildade, etc. Os pais não podem impedir os filhos de terem suas experiências e assim amadurecem por conta própria – portanto com grupo ou sem, com um mestre ou sem (refiro-me aqui somente aos Mestres no sentido de que ele se libertou de seu ego totalmente e não esporadicamente, como ocorre com muitos, comigo, contigo, etc. até... chegar o glorioso dia da libertação total), cada um terá que se deparar com as sombras do ego, com as ciladas e amadurecer! E engana-se quem acha que se praticar algo sozinho estará sozinho – sempre temos algum olhar vigilante sobre nós – pois quando alguém pratica com sinceridade ele sempre terá uma proteção estando em grupo ou não! Isso faz parte do pacote Voltar a Casa do Pai! Assim como cada um ter que aprender a discernir entre a Voz Verdadeira das outras!

- O que eu aprendi é que, praticando algo sozinho ou em grupo, cada um terá suas provas específicas, cada um apresenta suas fraquezas, pois que ainda não inventaram um caminho ou método que impeça o abuso e a inversão de algo – senão Buddha e depois Jesus já teriam “salvo” a todos – mas justo porque a responsabilidade final e a maturidade final é sempre individual é que não existe algo isento de erros e perigos. E também porque a Dualidade atua em todos os campos! Não tem como escapar dela e em sua expressão mais elementar, significa que tudo sempre tem lados fortes e lados fracos!

Relaxe, portanto, e apenas ache seu caminho, seu método, que mais lhe inspira a seguir cada vez mais esta Voz de Deus, seja em grupo ou sozinho! Isso sim é uma chave essencial para garantir o sucesso, e depois a constância da prática, mesmo que seja a mais simples de todas, expressa por Joel em outro livro seu, Setas para “O Caminho do Infinito” – amplie a imagem para ler melhor e invente sua própria frase, talvez algo mais moderno, pessoal, como:

- Eis-me aqui! Ou: - Cá estou! Confie que quanto mais autêntico você for, mais eficiente será sua jornada! Nada de falsear. No mínimo assuma se algo não te agrada – aceite! E daí peça por ajuda! Nunca pule forçando o aceitar sem ter aceito  de fato o que não lhe desce a garganta – isso vai atrasar em anos-luz sua caminhada! Seja autêntico! Afinal, não está escrito que para o Pai não cai nenhum fio de cabelo sem Ele o saiba? Entende agora do porque o Pai sabe tudo de todos? Pois está em todos!

Por alguma razão o blog não abriu mais a opção de carregar imagens e daí tive que copiar o trecho indicado, que segue.

PRÁTICA SUGERIDA POR JOEL:

No começo, diariamente, durante três ou quatro períodos de no máximo quatro minutos, ou algumas vezes, de apenas dez ou vinte segundos, procura abstrair-te dos ruídos externos, como que abrindo internamente o ouvido para escutar os sons que estejam além e acima da faixa de sons conhecidos e dize, no teu íntimo: Fala Senhor, teu servo escuta!

Isso abre a porta de nossa consciência. É um convite a Deus. E o Espírito sempre entra, ou de imediato, ou algum tempo depois.

PRATICA SUGERIDA POR TOLLE:

É muito similar - ele apenas não fala dos quatro minutos no máximo pois no começo a mente cansa e logo busca se distrair - experimente e verá, salvo se tiver uma natureza mais devota ou uma alma mais madura, ou enfim... cada caso é um caso difícil de especificar.
Tolle sugere (aos americanos estressados :-), praticar na frente do farol vermelho, na frente do elevador, no elevador, esperando na fila, enfim, por alguns segundos se voltar para dentro e, principalmente diante de uma tarefa desafiadora ou difícil, antes de agir, centre-se, volte-se para dentro e já vai mudar o modo como vai agir. Experimente - eu testei e os resultados foram impressionantes! Mas também antes de sair de casa e, de preferência logo ao acordar, centre-se peça para ser Orientado pelo Pai em Ti, seja lá como você prefira chamá-Lo!

E o que lhe parece tão banal, sabe o que significa:
- Que você está dando espaço ao Outro em Ti, a Voz de Deus, em detrimento do espaço do ego, da mente racional. Isso, em linguagem cristã, significa que você está praticando algo essencial para qualquer caminho que se diga de espiritual:
- Eu preciso diminuir para que o Cristo em mim (que é outro nome para este Novo Estado de Ser que estamos buscando fazer crescer) aumente!

Lao Tsé diria: Torne-se um vaso vazio (de ego)... para Deus ter espaço!!!


PG 49 - Mais dicas extraídas do livro de Joel sobre as condições para acessar a Voz do Silêncio:

Quando, em silêncio, nos adentramos ao templo de nosso ser para obter resposta a alguma
pergunta importante ou a solução de um problema vital, será melhor não formularmos nenhuma
idéia por nós mesmos, não traçarmos nenhum projeto nem permitir que nossa vontade sobre o
assunto gere nossos pensamentos. No lugar disso, aquietemos o mais possível nossa mente
"tagarela" e adotemos uma atitude de escuta. Não será nossa mente pessoal ou mente consciente que nos dará uma resposta, nem a mente educada e formada pelo nosso meio ambiente e nossa vivência, e sim a Mente de Deus, a nossa Realidade, a Consciência criativa. E esta é melhor ouvida quando os sentidos e a mente intelectual estão calados.
Esta divina Consciência não só nos mostra a solução de todo e qualquer problema e a direção
correta a seguir em qualquer situação mas, sendo infinita, é a consciência de todo indivíduo e faz
convergir todas as pessoas e circunstâncias para o bem de todos.

[Considero o negrito acima – feito por mim, aliás, todos são meus -, um dado muito chave, pois  a solução apresentada pela Voz Divina sempre é perfeita em muitos sentidos e sobretudo o fato de que ela sempre envolve o bem de todos – nunca prejudica ninguém].

E agora segue um dos mais mal entendidos textos da Bíblia e que Joel explica com maestria, pois consegue passar em linguagem acessível a todos seu verdadeiro significado, que é claro para os maduros, mas obscuro para os que ainda usam a Bíblia literalmente, ou apenas em seu sentido mais elementar.

PG 52 - O VERDADEIRO SUPRIMENTO
C A P Í T U L O I X
O suprimento
Parte I

O segredo do suprimento encontra-se no capítulo décimo segundo de Lucas:

E ele disse aos seus discípulos: "Portanto eu vos digo, não vos preocupeis com a vossa vida,
com o que haveis de comer; nem com o vosso corpo, com o que o cobrireis.
A vida é mais que o alimento, e o corpo é mais que a vestimenta.
Considerai os corvos: eles não semeiam nem colhem; eles não têm dispensa nem celeiro; e
Deus os alimenta: quanto mais vaieis vós que as aves?
E qual de vocês, com toda solicitude, pode acrescentar um cúbito à sua estatura?
E se, pois, não sois capazes de fazer estas pequenas coisas, por que vos preocupais com as
outras?
Considerai os lírios, como eles crescem: eles não fiam nem tecem; e na verdade vos digo que
nem Salomão, em toda sua glória, jamais se vestiu como um deles.
E se Deus veste assim a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada ao forno, quanto
mais vestirá a vós, homens de pouca fé?
Não pergunteis pois o que haveis de comer, ou o que haveis de beber, nem andeis na dúvida.
Pois todas as gentes das nações do mundo buscam estas coisas: e vosso Pai sabe que delas
haveis mister.
Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão dadas de acréscimo.
Não temais, pequeno rebanho, pois é do agrado do vosso Pai dar-vos o reino.”

Surge agora a questão: Como é possível "não nos preocupar" com o dinheiro quando as prementes obrigações devem ser satisfeitas? Como podemos confiar em Deus se ano após ano tais problemas financeiros nos afligem, geralmente não por falha nossa? Vimos na passagem de Lucas que o modo de resolver nossas dificuldades está em não nos preocuparmos com o suprimento, quer seja dinheiro, alimento, roupa ou qualquer outra forma. E o motivo pelo qual não precisamos estar ansiosos quanto a isso é que "é do agrado do vosso Pai dar-vos o reino", uma vez que Ele "sabe que delas haveis mister".

Para podermos entrar completamente no espírito de confiança desta passagem inspirada das Escrituras, temos de compreender que dinheiro não é suprimento, e sim o resultado ou efeito do suprimento. Não existe tal coisa como suprimento de dinheiro, de roupas, de casa, de automóvel ou alimento. Tudo isso constitui o efeito do suprimento, e se este suprimento infinito não estivesse presente dentro de nós, nunca haveria as "coisas dadas de acréscimo" em nossa vida. As coisas de acréscimo, naturalmente, são estas coisas práticas como dinheiro, alimento e roupas, que são tão necessárias neste estágio da existência.

E se dinheiro não é suprimento, que é este então? Façamos uma pequena divagação e observemos uma laranjeira carregada de frutos. Sabemos que as laranjas não constituem o suprimento, pois quando estas tiverem sido comidas, vendidas ou dadas, uma nova safra começará a brotar. As laranjas se foram, mas o suprimento continua, pois dentro da laranjeira existe uma lei em operação. Chame-a de lei de Deus, ou lei da natureza — o nome não é tão importante, mas o que importa é o reconhecimento da lei que atua na, através e como laranjeira. E esta lei opera internamente — através das raízes vêm os elementos minerais, nutrientes, água, elementos do ar; e mais a luz solar, que são então transformados em seiva. Esta, por sua vez, caminha tronco acima, é distribuída pelos ramos e finalmente toma expressão como flor. A seu tempo, esta lei transforma as flores em bolotas verdes e estas se tornam laranjas maduras. As laranjas são pois o resultado, ou o efeito da ação da lei na, através e como laranjeira. Enquanto esta lei estiver presente, teremos laranjas. A laranja, por si, não pode produzir outra laranja. E assim compreendemos que a lei é o suprimento e as laranjas seus frutos, os resultados, os efeitos da lei.
Dentro de mim e de você há também uma lei em operação — a lei da vida — e a
conscientização da presença desta lei é o nosso suprimento. O dinheiro e as coisas necessárias à
vida diária são os efeitos da conscientização da atividade da lei interior. Esta compreensão nos
permite desligar o pensamento do mundo exterior para habitarmos na consciência da lei.

Que é esta lei, que é nosso suprimento? A Consciência divina ou universal, a sua consciência
individual — isto é a lei. E ela é de fato a nossa consciência. Assim, nossa consciência se torna a lei do suprimento para nós, produzindo a sua imagem e semelhança na forma de coisas necessárias ao nosso bem-estar. E assim como não há limites para a nossa consciência, tampouco há limites para a percepção consciente da ação da lei e, por isso, não há limites para o nosso suprimento em todas as suas formas.
A Consciência divina ou universal, nossa consciência individual, é espiritual. A atividade
desta lei interior é também espiritual e, por isso, nosso suprimento, em todas as suas formas, é
espiritual, infinito, sempre presente. Aquilo que vemos como dinheiro, alimento, vestimenta, carros
ou casas representa a nossa interpretação dessa idéia. Nossos conceitos são tão infinitos como nossa mente.
Convenhamos que, assim como não precisamos nos preocupar com as laranjas, enquanto
tivermos a fonte ou suprimento que produz continuamente os frutos para nós, também não
precisamos mais nos preocupar com o dinheiro. Aprendamos a olhar para o dinheiro como olhamos
para as folhas ou para as laranjas, como um resultado natural e inevitável da lei que age
interiormente. Não há, de fato, razão para nos preocuparmos, mesmo quando a árvore nos pareça
desfolhada, enquanto mantivermos a consciência da verdade de que a lei continua assim operando internamente, para nos dar os frutos de sua própria espécie. Independentemente do estado de nossas finanças em dado momento, não fiquemos preocupados ou aborrecidos, pois agora sabemos que a lei atua dentro de nós, através e como nossa consciência e trabalha, quer estejamos dormindo ou espertos, para nos prover das coisas "de acréscimo".

PG 54 – NÃO DEVEMOS VIVER COMO SE FOSSEMOS EFEITO / MODO CERTO DE VIVER O DIA

Num certo instante dizemos que não devemos nos preocupar quanto ao nosso suprimento ou a
nossa saúde e, no momento seguinte, dizemos que precisamos "orar sem cessar" e "conhecereis a
verdade e a verdade-vos libertará". Embora isso pareça contraditório, ambas as afirmações estão
corretas, mas elas têm de ser compreendidas.

Há sempre uma crença de "bem humano" em operação — uma lei de estatísticas, e dela nós
extraímos nosso benefício material. Nas vendas de porta em porta, há geralmente uma média de
uma venda a cada vinte visitas; nas propagandas de mala-direta, há um retorno médio de dois por cento; no dirigir veículos, é dito que a regra estipula uma certa porcentagem de acidentes; as
companhias de seguro de vida possuem uma tabela de expectativa de vida, e, baseando-se nessas médias, elas podem lhe informar a cada instante quantos anos de vida ainda lhe restam.

Viver humanamente, isto é, seguir ao longo do dia-a-dia permitindo que estas médias nos
afetem, permitindo que crenças humanas operem sobre nós, não é um modo de vida científico. Isso tudo faz parte da crença em existência humana, e, a menos que façamos algo especificamente a esse respeito, ficaremos expostos a estas chamadas leis de saúde ou econômicas.
Estas sugestões, que realmente não passam de crenças, são tão universais que agem de modo
hipnótico, e tendem a produzir efeito sobre os menos avisados, trazendo-lhes limitações.

O que nós podemos fazer para nos manter livres de tais sugestões e vivermos acima delas?
Em primeiro lugar temos de viver em um plano de consciência mais elevado. Tanto quanto possível, temos de nos exercitar no conhecimento de que qualquer coisa que exista no campo do efeito, não é uma causa, não é criativo, e não tem poder sobre nós. E isso nos leva ao importante ponto da sabedoria espiritual: eu sou a lei, eu sou a verdade, eu sou a vida eterna. Ora, uma vez que eu sou consciência infinita e a lei, nada do mundo exterior pode agir sobre mim e se tornar uma lei para mim. Não há nada que nos possa infligir sofrimento, a não ser a aceitação da ilusão como realidade.
As coisas chamadas pecado e a doença não são coisas pelas quais temos de sofrer: são formas
assumidas pelo erro. Independentemente do nome que lhe dermos, elas são só hipnotismo,
sugestões, ilusões se apresentando como pessoas, lugares ou coisas — se mostrando como pecado, doença, necessidade ou limitação.

Não devemos viver como se fôssemos "efeito", com alguma coisa operando sobre nós.
Lembremos de viver como a Lei, como o Princípio do nosso ser. Podemos assumir os nossos
negócios só na medida de nossa percepção consciente de que estes são efeitos de nossa própria
consciência, a imagem e semelhança de nosso próprio ser, a manifestação ou expressão do nosso Eu divino — e só então seremos a lei que os governa.

Temos de começar nosso dia com uma reflexão sobre nossa verdadeira identidade. Temos de nos identificar como Espírito, como Princípio, como a Lei que atua em nossas coisas. É coisa muito necessária relembrar que não temos necessidades: somos consciência espiritual, individual, mas infinita, corporificando dentro de nós mesmos a infinitude do bem; por isso, somos o centro, o ponto da Consciência divina que pode alimentar cinco mil pessoas a cada dia, não usando nossa conta bancária, e sim a infinitude do bem que jorra através de nós, assim como o fazia através de Jesus.
Não vamos de encontro às pessoas pensando no que podemos delas obter ou no que elas
possam fazer por nós — apenas vamos para a vida como para a presença de Deus.
Ao longo do dia, quer estejamos fazendo trabalho doméstico, dirigindo o carro, comprando ou
vendendo, temos sempre de nos conscientizar que nós somos a lei do nosso universo, o que
significa sermos a lei do amor para com todos que fazem contato conosco. Devemos lembrar
conscientemente de que todos os que entram na esfera de nosso pensamento e atividade devem ser abençoados por este contato, pois nós somos a lei do amor; somos a luz do mundo.

PG 59 –  O VERDADEIRO CONCEITO DO QUE É NOSSO

Somos todos "co-herdeiros com o Cristo" em Deus; por isso, todos nós sacamos dos recursos
de nossa própria consciência e de nossa Alma, e não precisamos de trabalhosa luta para isso, que já é divinamente nosso. E tudo que alguém possua, a qualquer momento, mesmo aquilo que pareça ter algum valor humano, é o desdobramento de seu próprio estado de consciência e, por isso, pertence apenas a ele. Aquilo que temos é o resultado da frutificação do nosso próprio estado de consciência;e aquilo que ainda não conseguimos representa nossa falta de união consciente com Deus, nossa Consciência infinita.
Podemos ter o quanto desejarmos de qualquer coisa dilatando os limites da nossa
compreensão e percepção. Nada do que podemos obter dos outros será realmente nosso, mesmo que o tenhamos obtido legalmente; ainda pertenceria àquele cuja consciência o gerou. O que é nosso é nosso pela eternidade, mas nosso apenas por ser o nosso estado de consciência em expressão.

NOTAS FINAIS:

1) Não consegui formatar a fonte e os espaços adequadamente, pois copiei os textos do PDF e daí toda formatação é manual, por isso não pude deixar em fonte maior, daí teria que formatar cada frase!

2) Já escrevi diversos artigo sobre o tema acima, de acessar a Fonte e como e a importância disso justo agora (veja mais detalhes nas postagens OS ALIADOS DA HUMANIDADE de Junho de 2014), mas é preciso ler e reler e praticar e retomar... pois é da natureza humana deixar-se enredar pelo ego e suas distrações e esquecer... e relaxar... neste sentido um grupo é de grande valia, pois um inspira e impulsiona o outro, mas também um pode irritar e bloquear o outro! Sempre tem os dois lados! Veja qual prefere e

BOA JORNADA DE VOLTA AO LAR!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos de antemão os que se derem ao trabalho de expor um comentário, pedimos apenas que sejam objetivos, seja na exposição, ou na formulação de dúvidas.